geocaching

Três caches em Fátima

2013-03-16 12.15.04Como costume fazer uma vez por ano, por estas alturas, desloco-me até Fátima por motivos de trabalho que envolve umas boas dezenas de malta nova que participam na peregrinação anual da diocese de Leiria-Fátima. E também já começa a ser tradição eu arranjar uma ou duas caixitas para fazer, pelo que, desta vez, ainda não foi excepção. E ainda bem: o saldo revelou-se muito positivo, com três boas caches, das quais, duas estavam nomeadas para os prémios GPS.

#153, 16-03-2013 @12:10 GC39J9C

E as coisas começaram logo da melhor maneira. Um ligeiro desvio do caminho habitual que passa pela Loureira, levou-me aos moinhos que já conhecia, apesar de estarem num trajecto pouco utilizado. Daí que não precisasse do gps para calcular a zona do ponto zero e estacionasse o veículo a escassos metros de onde se encontrava o tesouro. Só posso dizer que o dono da cache foi de um descaramento que não lembra o diabo, para além de ter tido um brio na sua construção que não se vê muito por aí. Só posso fazer figas para que ela, a cache, sobreviva muitos e bons anos a fim de continuar a homenagem que é devida aos construtores e utilizadores daqueles monumentos.

#154, 16-03-2013 @12:26 GC3A767

Como tudo isto foi tão rápido, decido que ainda há tempo para mais uma que se encontrava a caminho. A zona envolvente já a conhecia, bem como a escultura que serve de ponto de referência. Com o andróide na mão, foi procurar o ponto zero. Aqui a coisa parece que emperrou, já que me queria levar para dentro de propriedade privada, não sem antes me picar num silvado que aí se encontrava. Na leitura dos logs anteriores, vi referências a um mecanismo, mas este tardava aparecer pelo que decidi alargar as buscas por causa do arvoredo. Em boa hora o fiz. Imediatamente, o meu olhar dirigiu-se para um monte de pedras suspeito que, afinal, guardavam o tal mecanismo que mantinha a criatura suspensa no alto. Muito bom. Mais uma descarada que, à semelhança da anterior merece rasgados elogios e votos de uma longa vida.

E, de manhã, era tudo, que não havia tempo para mais.

#155, 16-03-2013 @15:34 GC2QC79

Mais à tarde, ainda deu para uma fugida rápida, a uma cache que estava a poucas dezenas de metros do local onde me encontrava. Reparei que alguém estaria ali para o mesmo, mas a forma suspeita como rodeava a rocha, indicava que era geocacher. Não trocámos palavras, mas foi quase o suficiente para ter a certeza de que o taparuére estava por ali. No entanto, sem a fotografia “spoiler”, era capaz de não conseguir os meus intentos. Aliás, a própria foto era de difícil interpretação e ainda andei ali uns minutos a anhar. Missão cumprida.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s